Implemented by TechnoServe

calendarização

A campanha agrícola, em regime de sequeiro, é aquele que predomina na maioria das regiões do país e também na região da Alta Zambézia, apresenta normalmente a seguinte calendarização:

SET - NOV / DEZ

NOV / DEZ  - JAN

FEV - MAR

ABR / MAI

ABR / MAI - JUN / JUL

SETEMBRO ATÉ NOVEMBRO / DEZEMBRO | PREPARAÇÃO DE TERRAS

Quer manualmente (na base da enxada), quer tracção animal (apenas em algumas regiões bem definidas de Manica/Tete e Sul do país), quer com recurso à mecanização (essencialmente tractores de rodas com alfaias); 

NOVEMBRO / DEZEMBRO ATÉ JANEIRO | SEMENTEIRA DAS CULTURAS - 1ª ÉPOCA

Sementeira das culturas ditas de 1ª época, usualmente os grãos como cereais (milho, sorgo, arroz), algumas leguminosas (soja, etc.), mandioca, algodão, tabaco, etc. (com o início da época chuvosa); 

FEVEREIRO ATÉ MARÇO | SEMENTEIRA DAS CULTURAS - 2ª ÉPOCA

Sementeira das culturas ditas de 2ª época, como a maioria dos feijões (boer, nhemba, manteiga) e algumas oleaginosas (girassol gergelim, etc.); 

ABRIL / MAIO | VIVEIROS E SEMENTEIRA / TRANSPLANTE DE HORTÍCOLAS

Alguns tubérculos (batata, batata-doce, etc.); - em várias regiões começa a haver o recurso a pequenos sistemas de rega, essencialmente com base me motobombas e algumas electro-bombas, (fase final da época chuvosa e início da época seca, nas zonas mais baixas e com alguma humidade no solo); 

ABRIL / MAIO ATÉ JUNHO / JULHO | COLHEITA DAS CULTURAS DE 1ª ÉPOCA

Essencialmente de grãos, algodão, tabaco, etc. Seguida de limpeza/debulha e ensaque para venda; 

JULHO ATÉ AGOSTO | COLHEITA DAS CULTURAS DE 2ª ÉPOCA

Colheita das culturas de 2ª época, seguida de limpeza/debulha e ensaque para venda; 

ABRIL / MAIO ATÉ AGOSTO / SETEMBRO | COMERCIALIZAÇÃO AGRÍCOLA / VENDA DA PRODUÇÃO

De uma forma sequencial e à medida que as culturas de 1ª e 2ª época vão estando disponíveis para auto-consumo e mercado; 

MAIO / JUNHO ATÉ SETEMBRO | COLHEITA E COMERCIALIZAÇÃO

Venda de hortícolas, batata, etc. 

 Nota: Esta calendarização deve ser entendida como uma base geral, com as devidas adaptações às várias regiões do país, 

sendo determinadas pelo decorrer da época chuvosa e arranque da época seca.