Implemented by TechnoServe

OBJECTIVOS

Face ao aumento da procura nacional de matérias-primas para a produção de rações animais, em especial a soja e o milho, pela indústria nacional avícola desde 2005-06 e face à projecção baseada num estudo específico realizado pela TechnoServe que refere o aumento da procura nacional de soja até níveis de 125-130 mil ton. por ano a partir de 2020, confirma-se a garantia dum mercado nacional para a soja, duma forma cada vez mais crescente.

 

 

 

 

 

 

Acrescente-se, que as regiões planálticas do centro-norte do país, apresentam boas características e aptidão agro-climática adequadas à cultura da soja em regime de sequeiro, podendo ser cultivada em rotação com outros cultivos também importantes na região.  Acrescente-se que alguns dos novos mercados nacionais consumidores de soja situam-se também nessas regiões, de mormente em Manica e Nampula/Zambézia, ligados à indústria de rações e de avicultura industrial.  De referir ainda que é nas regiões centro-norte onde se encontram as zonas mais populosas do país, embora a capital de Maputo e a Beira sejam obviamente centros importantes de consumo de proteína animal, logo da procura de soja (e de milho) para rações.

 

A TECHNOSERVE DECIDIU LANÇAR E REFORÇAR A PRODUÇÃO DE SOJA A NÍVEL NACIONAL

Nessa base, a TechnoServe decidiu lançar e reforçar a produção de soja a nível nacional, em especial nas zonas planálticas do centro-norte do país, com base em fundos externos específicos. Para tal, foi desencadeado um programa específico de fomento/produção de soja a partir de 2009/10 que decorreu numa 1ª fase até 2013/14, com ênfase na produção/difusão de sementes melhoradas, a divulgação de melhores técnicas de cultivo e a introdução de outros inputs inovadores (inoculantes, a partir de 2010/11) junto dos pequenos produtores, mas tentando também envolver algumas empresas de média-grande dimensão, embora limitadas no número e tentando associar a produção ao mercado/indústria-procura existente.

 

Dos poucos mais de 6.000 pequenos produtores de soja que se estima que existiam na campanha 2008/09, com uma área em redor dos cerca de 5.500 ha e com uma produção inferior estimada de 5.500 ton., mediante o programa lançado conseguiu-se alcançar ao final de 5 campanhas um considerável crescimento, traduzido na campanha agrícola 13/14 em 30.500 agricultores de soja com uma área cultivada de 39.000 ha e uma produção da ordem das 49.000 ton. de grão de soja.  Nessa altura já se começou a verificar que uma parte importante da produção já era canalizada/vendida à indústria nacional de rações (mais de 1/3 dessa produção) em Manica e Nampula fundamentalmente, a par da venda no Malawi nas regiões vizinhas à Angónia e à Zambézia. 

Com o actual programa em curso, pretende-se manter o ritmo de aumento da produção e da produtividade dos agricultores, particularmente na produção de grãos como a soja, feijões e gergelim, em especial dos pequenos agricultores comerciais (PACs), e do sector familiar em seu redor, centrado nos seguintes aspectos:

 

  DIFUSÃO DE MAIORES QUANTIDADES DE SEMENTES MOLHORADAS/CERTIFICADAS E DE OUTROS INPUTS 

  MELHORADOS (inoculante, etc.);  

  INTENSIFICAÇÃO DA MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA DOS PACs PARA CAPACITÁ-LOS PARA MAIORES ÁREAS DE PRODUÇÃO

  PRÓPRIA E PARA A VENDA DE MAIS E MELHORES SERVIÇOS DE LAVOURA E DEBULHA AO SECTOR FAMILIAR NA SUA REGIÃO; 

  DIFUSÃO DE MELHORES TÉCNICAS AGRÍCOLAS, ATRAVÉS DA FORMAÇÃO PRÁTICO-DEMONSTRATIVA AO LONGO DA

  CAMPANHA AGRÍCOLA DA INSTALAÇÃO DE CAMPOS DE DEMONSTRAÇÃO COM NOVAS TÉCNICAS E DA REALIZAÇÃO

  DE DIAS DE CAMPO; 

  AUMENTO DAS ÁREAS DE REGA DOS PACs, NÃO APENAS PARA A PRODUÇÃO DE HORTÍCOLAS MAS TAMBÉM DE 

  GRÃOS NA 2ª ÉPOCA SECA; 

  MELHORIA DA CAPACIDADE DE GESTÃO AGRO-ECONÓMICA; DA ORGANIZAÇÃO DOS PACs; DA SUA COOPERATIVA COPAZA; DO       REFORÇO DA LIGAÇÃO ENTRE A COPAZA E O PARCEIRO PRIVADO MAIORITÁRIO NA SOCIEDADE DE BENEFICIAMENTO DE                 SEMENTES (SBS), ATRAVÉS DO ARRANQUE DE FUNCIONAMENTO DA NOVA UNIDADE DE BENEFICIAMENTO DE SEMENTES E         GRÃOS JÁ INSTALADA NA REGIÃO DE MAGIGE, DISTRITO DO GURUÉ, PARA SERVIR NÃO APENAS A PRODUÇÃO PRÓPRIA DOS           PACs, MAS TAMBÉM PARA VENDER OS SEUS SERVIÇOS ÀS EMPRESAS E TRADERS DA REGIÃOCENTRO DO PAÍS. 

Nas próximas 3 campanhas agrícolas, a 1ª das quais (2015/16) está já praticamente encerrada, pretende-se que em 2017/18 os 33 PACs/ pequenos agricultores comerciais, grupo-alvo da atenção do projecto, consigam alcançar os seguintes indicadores:

  PRODUÇÃO DE 450 TON DE SEMENTE CERTIFICADA DE SOJA NESSA CAMPANHA, NO TOTAL DAS 800 TON NAS 3             CAMPANHAS 15/16, 16/17 E 17/18; 

  INÍCIO DA MULTIPLICAÇÃO DE SEMENTES DE FEIJÃO BOER, FEIJÃO MANTEIGA, GERGELIM E A DIFUSÃO 

  NA REGIÃO; 

  VENDA DE SERVIÇOS AGRÍCOLAS A 3800 AGRICULTORES DO SECTOR FAMILIAR EM 17/18, ATRAVÉS DA VENDA/DIFUSÃO

  DE SEMENTES DE GRÃOS PARA 6500 HA E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA PARA 4950 HA; 

  REFORÇO DE MELHOR TECNOLOGIA AGRÍCOLA ATRAVÉS DOS SEUS CAMPOS DE DEMONSTRAÇÃO E REALIZAÇÃO DE DIAS   DE CAMPO, A PAR DA FORMAÇÃO QUE CONTINUARÁ A SER PRESTADA PELA TECHNOSERVE AO LONGO DAS CAMPANHAS   AGRÍCOLAS NAS FASES DE PRÉ-SEMENTEIRA, PÓS-GERMINAÇÃO E COLHEITA; (particular atenção vai ser dada aos             aspectos ligados ao Climate Smart Agriculture (CSA), iniciado antes, de uma forma mais modesta; 

  UMA RELEVANTE ATENÇÃO VAI SER PRESTADA AO REFORÇO DO PAPEL DA MULHER NO SEIO DA EMPRESA FAMILIAR QUE   OS PACs DE FACTO REPRESENTAM, ATRAVÉS DA SUA CAPITALIZAÇÃO DIRECTA COM ALGUNS MEIOS                                 PRÓPRIOS (debulhadoras e produção de sub-produtos nutritivos à base de soja, com apoio de um projecto paralelo),     A PAR DO AUMENTO DO SEU PAPEL NA GESTÃO DA EMPRESA FAMILIAR COMERCIAL QUE OS PACs REPRESENTAM; 

  SERÁ AMPLAMENTE REFORÇADO O PAPEL DA COPAZA COMO AGLUTINADOR DOS 33 PACs EM REDOR DE CONTRATOS       DE MULTIPLICAÇÃO DE SEMENTE COM BASE NO FUNDO ROTATIVO DE QUE DISPÕE PARA O EFEITO, ASSIM COMO, DA     LIGAÇÃO NA EMPRESA SBS DETENTORA DA UNIDADE DE BENEFICIAMENTO DE SEMENTES E GRÃOS, COM O PARCEIRO     PRIVADO EXISTENTE. 

A TechnoServe, através da sua equipa de Programa Agrícola, manterá e reforçará o apoio e a assistência técnico-organizativa dos 33 PACs e da COPAZA, e ajudará na ligação destes na integração plena na gestão da joint-venture. Sociedade de Beneficiamento de Sementes/Grãos (SBS), detentora da melhor e mais moderna unidade de beneficiamento de sementes/grãos no país, dotada dum sistema inovador de CoolSeed e com uma capacidade instalada para beneficiar 2-2,5 ton/hora de sementes e cerca de 15 ton/hora de grãos.

ASSISTIU-SE A UM REACTIVAR DA PRODUÇÃO DE SOJA, TENDO SIDO ALCANÇADAS 35.500 ton DE SOJA EM 28.000 ha POR CERCA DE 20.000 AGRICULTORES.

Apesar das dificuldades sentidas na campanha anterior 14/15, em especial das fortes chuvadas na 1ª década de Janeiro de 2015, traduzidas em perdas (pontuais) de áreas e produções nas regiões do projecto, a nível do país (Moçambique) na campanha actual 15/16 (de momento na sua fase final), assistiu-se a um reactivar da produção de soja, tendo sido alcançadas 35.500 ton de soja em 28.000 ha por cerca de 20.000 agricultores.   

 

A Zambézia representou cerca de 55% desses mesmos indicadores, região onde se situa o projecto que vimos abordando. Os rácios alcançados na área por agricultor (1,4 ha) e no rendimento unitário (1,27 kg/ha) evoluíram em relação à campanha anterior, fruto do impacto de alguns factores centrais, onde se destaca a mecanização, a qualidade das sementes, o acesso a melhores técnicas, a par dos bons preços ao produtor como incentivo ao aumento de áreas e dos níveis da produção. Tudo isso se traduziu num valor gerado a preços ao produtor, equivalente a 15,6 Milhões USD, i.e. uma média de 779 USD por agricultor, superior em 8% ao ano anterior.  

Do total das áreas colhidas, cerca de 2.000 ha foram dos PACs - cerca de 7% do total da área nacional -, quer os integrados no projecto (33=1.200 ha), quer de outros, assim como cerca de 2650 ha de algumas poucas grandes empresas (9,4% do total da área nacional) situadas na A.Zambézia/Malema (4), continuando ainda a ser a maior parte das áreas (83,6%) cultivada pelo sector familiar.   

 

Em termos de venda de serviços de apoio ao sector familiar, esses PACs organizados na COPAZA venderam preparação de terras com meios mecânicos (tractor, charrua, grade, semeador) a 1.350 ha desse sector, e semente de soja para 2.370 ha dos mesmos, para além de inoculante para 2.500 ha, estimando-se que foram assistidos cerca de 1.700 agricultores, beneficiários desse tipo de serviços.

 

No caso particular da debulha mecânica alugada ao sector familiar, foram debulhados 10.000 sacos (500 ton) de grãos dos mesmos, para além de 14.000 sacos (700 ton) da produção própria dos PACs.

A renda bruta encaixada por cada PAC foi em média do equivalente a $23.685 USD, o que traduzido em termos de encaixe médio mensal é o equivalente a $1.975 USD - lembra-se que o per capita de Moçambique situa-se actualmente abaixo dos $1.000 USD, i.e. uma média de 85 Usd/mês.

Por níveis de encaixe da receita bruta, o cenário é o seguinte:

  3 PACs COM ENCAIXE BRUTO ANUAL ACIMA DOS 3 MILHÕES Mt (equiv. >$55.700); 

  4 PACs COM ENCAIXE ANUAL ENTRE OS 2 E OS 3 MILHÕES Mt (equiv. $37.150 a $55.700); 

  8 PACs COM ENCAIXE ANUAL DE 1 A 2 MILHÕES Mt (equiv $18.570 a $37.150); 

  7 PACs COM ENCAIXE ANUAL DE 0,5 A 1 MILHÃO Mt (equiv $9.290 a $18.570); 

  4 PACs COM ENCAIXE ANUAL ENTRE OS 200 MIL Mt E OS 500 MIL Mt (equiv $3.715 a $9.290); 

  3 PACs ABAIXO DOS 200 MIL Mt DE ENCAIXE ANUAL (equiv <$3.715); 

  E APENAS 2 PACs EM FALTA. 

É evidente a taxa de sucesso alcançada, assim como a confirmação de que este modelo agro-económico assente no fortalecimento do pequeno agricultor comercial gera melhoria da vida ao produtor, e pode ser uma alternativa a ser replicada e desenvolvida nesta e noutras zonas similares do país, em especial nos planaltos com aptidão para uma agricultura de sequeiro com regadio de pequena dimensão como suplemento.

 

Relativamente à Multiplicação de Semente, neste caso de grãos (ainda muito centrada na cultura da soja), nas últimas 7 campanhas decorridas desde 2009/10 até à actualidade/20015-16, com as acções promovidas e apoiadas pela equipa do Programa Agrícola da TechnoServe Moçambique, financiadas por fontes externas específicas, e com maior ênfase pela Holanda desde 2012/13, foram produzidas 1.775 ton de semente melhorada de soja em 1.513 ha para esse fim – desse total, das quais 1.315 ton (74%) foram beneficiadas - desse total, os PACs-pequenos agricultores comerciais continuaram com a produção de 1.225 ton de semente, i.e. com 69%, o que demonstra o potencial da capacidade de produção e contributo deste sector económico para um dos aspectos centrais para o desenvolvimento da agricultura em Moçambique – Semente.

A semente produzida no período de 7 anos acima considerado, tem servido para semear 35.000 ha nesses anos, o que representa já 22% das áreas totais de soja cultivadas nessas campanhas agrícolas, ou seja um “refreshing” com melhor semente em 1/5 das áreas totais. É um rácio ainda relativamente modesto, mas já representa um salto importante face ao que vinha sucedendo nos anos anteriores ao período em questão, onde praticamente não havia disponibilidade de sementes melhoradas.

  • pdf-icon